Sodoma e Gomorra, Monte Sinai e Sião

A Ação de Deus:

II Pedro 3:18 – Provérbios 18:15.

Sentindo no meu coração comecei analisar os diferentes fatos históricos que se desenrolaram em Sodoma, Gomorra, Sinai e Sião e nisso tudo notar como Deus é compassivo, amoroso, meigo, insondavelmente misericordioso, exigente e justo.

Ele fala, adverte, exorta, dá oportunidades para o pecador se arrepender e escapar da condenação, porém, Ele é Deus único, santo, justo, não tolera pecado,julga com justiça condenando os rebeldes, desobedientes, murmuradores obstinados, infiéis e etc.

Tudo Ele faz pela Sua insondável misericórdia, porém, Sua paciência também tem limites e Ele executa juízo.

As Representações e Qualidades desses Lugares:

Sodoma: Era uma das cinco cidades das campinas do Jordão, as demais são: Gomorra, Admá, Zeboim e Belá, (Gênesis 14:2) “Que estes fizeram guerra a Bera, rei de Sodoma, a Birsa, rei de Gomorra, a Sinabe, rei de Admá, e a Semeber, rei de Zeboim, e ao rei de Bela (esta é Zoar)”.

Sinai: Península montanhosa da Arábia, fica entre o canal de Suez e o Golfo de Ákaba, lugar ermo (deserto) Onde fica o Monte Sinai também conhecido por Monte Horebe, hoje é propriedade do Egito, fazendo divisa com Israel.

Monte Sião: É um dos montes de Jerusalém assim quando se diz: Monte de Sião se inclui também o Monte Moriá, porque Jerusalém é conhecida como cidade de Sião. Desde os tempos de Abraão Deus operou ali muitos milagres maravilhosos isso por ser Jerusalém também chamada de cidade do Grande Rei. Hoje Jerusalém é motivo de atritos entre judeus e palestinos, ambos a reivindicam para transformá-la em capital de seus países.

Iniciaremos o Assunto por Sodoma:

Provavelmente Sodoma e Gomorra eram as principais entre as cinco cidades das campinas do Jordão que foram destruídas por Deus, pelas misérias que praticavam.

Para falarmos de Sodoma se faz necessário entrar um pouco na história de Abraão: Abraão era de Ur dos Caldeus (Gênesis 11:31) “E tomou Tera a Abrão, seu filho, e a Ló, filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos caldeus, para ir à terra de Canaã; e vieram até Harã e habitaram ali”. Deus Altíssimo ordenou a Abrão (Abraão) que saísse de sua terra, do meio de sua parentela e da casa de seu pai, (Gênesis 12:1 e 2) “Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção”.

Abraão partiu de Ur dos Caldeus e foi para um lugar desconhecido, foi pela fé, (Hebreus 11:8) “Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia”. Porem, levou consigo Ló seu sobrinho, quando a ordem era para deixar a parentela, (Gênesis 12:4) “Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã”. Com isso ele não atendeu integralmente a ordem de Deus. (Isso vemos hoje, uma verdadeira dinastia nas Igrejas, isto é, passam-se de pais para filhos).

Aparentemente tudo ia bem, até surgir contenda entre os pastores de Abraão e os de Ló, (Gênesis 13:7) “E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os ferezeus habitavam, então, na terra”. Então Abraão mandou que Ló escolhesse um lugar para si, porque juntos não daria para continuarem. Ló levantou os olhos para as campinas do Jordão, bela, regadas, verdejantes, bonita como o Jardim do Édem e para lá partiu (Gênesis 13:10 e 11) “E levantou Ló os seus olhos e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes de o SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar. Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu Ló para o Oriente; e apartaram-se um do outro.

Depois dessa separação falou Deus a Abraão, (Gênesis 13:14 e 15) “E disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta, agora, os teus olhos e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre.

Abraão falhou algumas vezes, mentiu por duas vezes que Sara não era sua esposa, errou ao entrar a Agar para dela gerar filhos conforme o conselho de sua esposa. Mas todavia foi chamado de amigo de Deus. Isso vem provar que não há homem perfeito, mas Abraão foi homem segundo o coração de Deus que o chamou de amigo (Tiago 2:23) “E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus”

Sodoma:

Como era Sodoma?

  1. Era bela, talvez a principal entre as demais cidades nas campinas do Jordão.
  2. Desejável, porque era como um belo jardim bem regado, desejável aos olhos.
  3. Atraente, convidativa, próspera pela sua localização e estrutura. Deveria ter meios suficientes para abrigar os que ali chegassem. Ali Ló prosperou muito materialmente.
  4. Sodoma e assim como Gomorra se destacavam entre as demais porque pouco se fala das demais cidades da região, profana, imoral. Todavia ali morava o justo Ló (2 Pedro 2:7) “E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis”. È prova que em qualquer lugar o homem pode permanecer sincero diante de Deus.

Penetremos no íntimo de Sodoma e Gomorra:
  1. Sodoma e Gomorra deveriam ser também as principais cidades em orgias, profanações, misérias destacando-se das demais cidades também profanas.
  2. Seus moradores eram maus, as aparências enganam (Gênesis 13:13) “Ora, eram maus os varões de Sodoma e grandes pecadores contra o SENHOR”. Não podemos olhar para as aparências como olhou Ló (1 Samuel 16:7) “Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração”.
  3. Dentro de Sodoma e Gomorra existiam demasiadamente profanações, perversidades sexuais, praticavam sodomia (homens com homens, homossexualismo) Hoje, a meu ver estamos vivendo os dias de Sodoma e Gomorra e em certos paises até legalizados por leis contrariando assim a Gloriosa Palavra de Deus. Em Sodoma e Gomorra essas profanações eram praticadas sem escrúpulos.
  4. Existiam nessas cidades, calamidades obscenas, lascívias, luxúrias,entregas totais aos prazeres profanos, libertinagem, dissoluções e corrupções extremas como vemos hoje,examinemos em (Gênesis 19:8) “Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram varão; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for nos vossos olhos; somente nada façais a estes varões, porque por isso vieram à sombra do meu telhado”.
  5. Promiscuidades sem tamanho de atos sexuais desordenados, rejeitaram as filhas virgens de Lò para tentarem suas misérias contra os varões ( anjos que tinham retirar Ló e sua família para livra-lo da destruição que Deus havia programado para essas perversas cidades.
  6. Nesse instante veio a intervenção de Deus porque Deus é Santo e não tolera pecado, pois Sua paciência também tem limites.

Não é isso que vemos hoje? Homens praticando atos abomináveis com crianças de 4, 5, 6 anos e até menos. E ainda filmam suas miseráveis práticas. Está bem provado que estamos praticamente nos dias de Sodoma e Gomorra. Essas coisas estão acontecendo no mundo inteiro, Sodoma representa verdadeiramente o mundo atual.

A Trágica Conseqüência de Uma Escolha Errada:


A Misericórdia de Deus

Toda escolha errada traz conseqüências desastrosas em todas as áreas da vida, temos que ter cuidado com “amigos”, com casamentos, com sociedades e etc..  Ló olhou para a beleza da região e não buscou direção de Deus, e com isso sofreu perdeu suas propriedades, sua esposa e teve muitos dissabores. As aparências muitas vezes são sedutoras e enganadoras.

Passado tempos foi levado cativo, sendo socorrido por Abraão, seu tio (Gênesis 14:12 e 14 e 16) “Também tomaram a Ló, que habitava em Sodoma, filho do irmão de Abrão, e a sua fazenda e foram-se (...) Ouvindo, pois, Abrão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã. (...) E tornou a trazer toda a fazenda e tornou a trazer também a Ló, seu irmão, e a sua fazenda, e também as mulheres, e o povo”. Foi zombado pelos que pretendiam seus genros (Gênesis 19:14) “Então, saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos; saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Foi tido, porém, por zombador aos olhos de seus genros”. Veja como perdeu sua esposa, na saída de Sodoma, (Gênesis 19:26) “E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal”. (Que escolha desastrosa fez Ló). Cometeram o incesto preparado pelas suas filhas que com certeza haviam aprendido com os moradores de Sodoma, embora elas tinham se mantidas virgens provando assim que Ló ensinava a suas filhas o bom caminho , (Gênesis 19:8) “Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram varão; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for nos vossos olhos; somente nada façais a estes varões, porque por isso vieram à sombra do meu telhado”. Até que elas planejaram um ato terrível (Gênesis19; 31, 32 e 36) “Então, a primogênita disse à menor: Nosso pai é já velho, e não há varão na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra.Vem, demos a beber vinho a nosso pai e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos semente de nosso pai. (...) E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai”. Cometendo assim esse ato nefando. Não vigiaram e geraram filhos do próprio pai.

Ló foi justo diante de Deus e isso he serviu para salvação de sua alma (2 Pedro 2:7) “E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis”. Porém, se preocupava muito com as coisas materiais e daí lhe veio todo sofrimento e dissabores.

De seus descendentes surgiram as nações dos moabitas e amonitas (Gênesis 19:37 e 38) “E teve a primogênita um filho e chamou o seu nome Moabe; este é o pai dos moabitas, até ao dia de hoje. E a menor também teve um filho e chamou o seu nome Ben-Ami; este é o pai dos filhos de Amom, até o dia de hoje”. Essas nações foram inimigas dos descendentes de Abraão. Veja a ordem de Deus em (Deuteronômio 23:3 e 4) “Nenhum amonita ou moabita entrará na congregação do SENHOR; nem ainda a sua décima geração entrará na congregação do SENHOR, eternamente. Porquanto não saíram com pão e água a receber-vos no caminho, quando saíeis do Egito; e porquanto alugaram contra ti a Balaão, filho de Beor, de Petor, da Mesopotâmia, para te amaldiçoar”.

A misericórdia de Deus permitiu que uma descendente desse povo entrasse na linhagem da qual nasceu Jesus Cristo (Rute 1:16) “Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me afaste de ti; porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Então Boaz tomou Rute por mulher, (Rute 4:10) “E de que também tomo por mulher a Rute, a moabita, que foi mulher de Malom, para suscitar o nome do falecido sobre a sua herdade, para que o nome do falecido não seja desarraigado dentre seus irmãos e da porta do seu lugar; disto sois hoje testemunhas”.

Todos os que pecam pagam um preço (Ezequiel 18:20) “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a maldade do pai, nem o pai levará a maldade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”.

Adão e Eva pagaram, (Gênesis 3:16 e 17) “E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor e a tua conceição; com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. E a Adão disse: Porquanto destes ouvidos à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida”.

Caim pagou, (Gênesis 4:11 e 12) “E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão. Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e errante serás na terra”.

Abraão pagou, Deus ficou sem falar com ele por 13 anos pelo ato praticado com Agar, (Gênesis 16:16) “Era Abrão da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu Ismael a Abrão”. Examine ainda em (Gênesis 17:1) “Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em minha presença e sê perfeito”.

Moisés pagou, (Êxodo 2:14 e 15) “O qual disse: Quem te tem posto a ti por maioral e juiz sobre nós? Pensas matar-me, como mataste o egípcio? Então, temeu Moisés e disse: Certamente este negócio foi descoberto. Ouvindo, pois, Faraó este caso, procurou matar a Moisés; mas Moisés fugiu de diante da face de Faraó, e habitou na terra de Mídia”... .

A Grande Misericórdia de Deus

A misericórdia de Deus é insondável (Efésios 2:4) “Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou”,

Para Sodoma e Gomorra Deus não agiu diferente, (Gênesis 18:26) “Então, disse o SENHOR: Se eu em Sodoma achar cinqüenta justos dentro da cidade, pouparei todo o lugar por amor deles”. Mas lá não foi encontrado nem dez justos.

A Misericórdia de Deus também tem limites, (Tiago 2:13) “Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa sobre o juízo”,

Sodoma e Gomorra foram profanas os justos foram tirados antes da catástrofe e elas foram destruídas. (Assim será com mundo atual, a Igreja será tirada e juízo virá sobre os ímpios, profanos e desobedientes).

 

Sinai:

Como dissemos antes o Sinai é uma península da Arábia, hoje pertencente ao Egito sendo lugar turístico pelos fatos que aconteceram ali em tempos remotos.

O Monte Sinai não tem beleza aparente, mas trás a beleza e o valor histórico que o envolve. Encanta os turistas com sua altura que segundo o guia que lá nos conduziu em 1989 é de 3000 metros. O Monte Sinai também conhecido como Monte Horebe (Êxodo 3:1) “E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe”.

Israel tendo ficado no Egito por cerca de 430 anos e na em grande parte final desse tempo viviam como escravos sem direito a nada a não ser trabalhar.

As crianças hebréias eram, isto é, os meninos, eram obrigados logo que nascesse serem lançados ao rio (Êxodo 1:22) “Então, ordenou Faraó a todo o seu povo, dizendo: A todos os filhos que nascerem lançareis no rio, mas a todas as filhas guardareis com vida”. Mas nascendo Moisés sua mãe o ocultou por três meses após esse tempo colocou-o em uma pequena deixando-o no rio por não poder mais esconde-lo. Deus providenciou livramento, (Êxodo 2:5 a 9) “E a filha de Faraó desceu a lavar-se no rio, e as suas donzelas passeavam pela borda do rio; e ela viu a arca no meio dos juncos, e enviou a sua criada, e a tomou. E, abrindo-a, viu o menino, e eis que o menino chorava; e moveu-se de compaixão dele e disse: Dos meninos dos hebreus é este. Então, disse sua irmã à filha de Faraó: Irei eu a chamar uma ama das hebréias, que crie este menino para ti? E a filha de Faraó disse-lhe: Vai. E foi-se a moça e chamou a mãe do menino.Então, lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino e cria-mo; eu te darei teu salário. E a mulher tomou o menino e criou-o”.

Sendo já grande Moisés foi levado ao palácio de Faraó onde foi instruído sobre toda sabedoria egípcia. Porem certo dia ele resolveu ir visitar seus irmãos e ai cometeu um homicídio, (Êxodo 2:11 e 12) “E aconteceu naqueles dias que, sendo Moisés já grande, saiu a seus irmãos e atentou nas suas cargas; e viu que um varão egípcio feria a um varão hebreu, de seus irmãos E olhou a uma e a outra banda, e, vendo que ninguém ali havia, feriu ao egípcio, e escondeu-o na areia”.

Isso chegou ao conhecimento de Faraó e Moisés fugiu para a terra de Mídiã onde conheceu uma jovem filha de Reuel com quem se casou. Passado alguns anos Deus aparece a Moisés e ordena-lhe que volte ao Egito para libertar Israel.

Moisés volta ao Egito e pela potente mão de Deus consegue tirar Israel da escravidão. Passando por muitas provas como a do Mar Vermelho chegaram ao Sinai onde Deus falou com Moisés, sendo ali o ponto de parada para Israel e seu encontro com Deus que prometeu muitas bênçãos se eles lhe obedecessem, (Êxodo 19:3 a 6) “E subiu Moisés a Deus, e o SENHOR o chamou do monte, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó e anunciarás aos filhos de Israel: Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim; agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu concerto, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha. E vós me sereis reino sacerdotal e povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel”.

Nesse encontro Deus requereu santidade, obediência as Sua Palavra, Sua Lei. Isso Ele requer de nós também, (1 Pedro 1:16) “Porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”. Sem ajuda e obediência a Deus jamais alcançaremos santidade (Hebreus 12:10) “Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade”. Será que como vemos hoje uma boa parte de Igrejas misturando-se com os costumes do mundo pode haver santidade?

Israel permaneceu quase um ano no Sinai (Êxodo 19:1) “Ao terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia, vieram ao deserto do Sinai”. Examine também em (Números 10:11) “E aconteceu, no segundo ano, no segundo mês, aos vinte do mês, que a nuvem se alçou de sobre o tabernáculo da congregação”.

No Sinai Deus falou tão claro com os filhos de Israel que eles se assustaram, ficaram atemorizados e pediram a Moisés que ele falasse com Deus e transmitissem a eles as palavras de Deus (19:18 e 19) “E todo o povo viu os trovões, e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos; e não fale Deus conosco, para que não morramos”.

Deus estava confirmando ali o pacto que havia feito com Abraão muito tempo antes (Gênesis 15:13 e 18) “Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos. Naquele mesmo dia, fez o SENHOR um concerto com Abrão, dizendo: À tua semente tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até ao grande rio Eufrates”.
Antes de um ano Israel rompeu o pacto fabricando deuses de fundição, (idolatria)  desobedecendo o primeiro mandamento da Lei de Deus, (Êxodo 20:3) “Não terás outros deuses diante de mim”. E confirmado em (Deuteronômio 5:7) “Não terás outros deuses diante de mim”. Nessa desobediência fizeram festas carnais e pornográficas (Êxodo 32:6 e 25) “E, no dia seguinte, madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois, levantaram-se a folgar. (...) E, vendo Moisés que o povo estava despido, porque Arão o havia despido para vergonha entre os seus inimigos”. Moisés irou se tanto que quebrou as tabuas da Lei (Êxodo 32:19) “E aconteceu que, chegando ele ao arraial e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se o furor de Moisés, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte”.

Moisés pediu a Deus que não os deixassem caminhar só pelo deserto (Êxodo 33: 15 a 17) “Então, disse-lhe: Se a tua presença não for conosco, não nos faças subir daqui. Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso, não é por andares tu conosco, e separados seremos, eu e o teu povo, de todo o povo que há sobre a face da terra? Então, disse o SENHOR a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos; e te conheço por nome”. E assim Deus continuou com eles.

O Monte Sinai passou a ser uma alegoria (exposição de pensamentos sobre forma figurada) (Galatas4:24 e 25) “O que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos: um, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar. Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos”. (Para os cristãos sinceros e obedientes, não para os cristãos mundanos que se vê hoje, existe a nova Jerusalém) Veja: (Gálatas 4:26) “Mas a Jerusalém que é de cima é livre, a qual é mãe de todos nós”.

Podemos contemplar alegoricamente esse local nos seguintes ângulos:

1) Porque produziu filhos carnais que com pouco tempo romperam o pacto tornando-se idolatras e desobedientes.

2) Podemos contemplá-lo como lugar de encontro com Deus, mesmo sendo deserto (que significa mundo) podendo-se ouvir a voz de Deus e sentir Sua presença.

3) Lugar de perigo onde pode-se começar pelo Espírito e terminar pela carne. (Gálatas 3:3 ) “Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne”?

Conosco não será diferente, temos que vigiar e aprender a lição, caso contrário perderemos o nosso tempo. Deus não deixa levar por respeitos humanos.

Tenhamos em mente que não somos filhos da escrava, mas da livre, somente alcançaremos isso por Jesus Cristo nosso salvador. Fujamos da idolatria e desobediência, (1 Coríntios 10:14) “Portanto, meus amados, fugi da idolatria”. E em (Coríntios 15:58) “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”.

O Sinai poderia ter sido para sempre um lugar de comunhão com Deus pela benção daquele encontro, Israel se tornaria a benção para as nações com exceção dos povos que habitavam em Canaã, estavam rejeitado por Deus.

Lembre-se que Deus havia dito que Israel seria uma nação sacerdotal. A nós constituiu cidadão do céu por Jesus Cristo, mas corremos os mesmos perigos, Deus sempre requer obediência e santidade, (1 Pedro 1:15 e 16) “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”. (Hoje não se ensinam mais essas coisas, mas venha como está e permaneça como quiser, dizem; costumes não se precisam pregar, mas na realidade o que querem hoje são números, grandezas e grana).


Monte Sião:

O Monte Sião é um dos montes de Jerusalém se distinguia do Monte Moriá onde Abraão pela fé ofereceu Isaque a Deus. No Monte Moriá Salomão construiu o Templo ao Senhor e ali foi colocada a Arca do Senhor. Dado essas circunstancias e os fatos ali acontecidos, Jerusalém, Monte Moriá e Monte Sião hoje são conhecidos como o nome de Sião (Salmos 2:6) “Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte Sião”.

Jerusalém desde os tempos antigos era conhecida como Sião; De Sião sairá a Lei (Miquéias 4:2) “E irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do SENHOR e à Casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e nós andemos pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e a palavra do SENHOR, de Jerusalém”.  Também chamada de Casa de Deus (Salmos 76:2) “E em Salém está o seu tabernáculo, e a sua morada, em Sião”.

De fato a Palavra de Deus saiu de Jerusalém para todo o mundo (Atos 1:8) “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. Até para Israel o libertador virá de Jerusalém (Romanos 11:26) “E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades”.

O Valor de Sião para o Cristianismo:

Jesus foi apresentado no Templo, (Lucas 2:22) “E, cumprindo-se os dias da purificação, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor”

Aos doze anos Jesus foi a Jerusalém e ensinava a Palavra aos doutores, (Lucas 2:42 e 46) “E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa. E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os”.

Para cumprir a palavra do profeta Ele entrou na cidade montado em um jumentinho (Zacarias 9:9) “Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre e montado sobre um jumento, sobre um asninho, filho de jumenta”. Examine o cumprimento dessa profecia (João 12:14 a 16) “E achou Jesus um jumentinho e assentou-se sobre ele, como está escrito: Não temas, ó filha de Sião! Eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta. Os seus discípulos, porém, não entenderam isso no princípio; mas, quando Jesus foi glorificado, então, se lembraram de que isso estava escrito dele e que isso lhe fizeram”.

Foi em Sião que desceu sobre eles o Espírito Santo (Atos 1:14) “Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos”. (Atos 2:4) “E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”. Após receberem o Espírito Santo anunciaram a Palavra com ousadia mesmo em perseguições, (Atos 5:29 a 31) “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro. Deus, com a sua destra, o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e remissão dos pecados”.

A Igreja sofreu muito ali, mas era unida, ( Atos 4:32) “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”.

Jesus lamentou sobre Jerusalém pela sua incredulidade (Lucas 19:41 a 44) E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! Se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas, agora, isso está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todas as bandas, e te derribarão, a ti e a teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação”.

Foi em Sião que Jesus realizou a obra redentora no Calvário, levando sobre Si os nossos pecados (Marcos 15:34 a 37) “E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lemá sabactâni? Isso, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? E alguns dos que ali estavam, ouvindo isso, diziam: Eis que chama por Elias. E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lho a beber, dizendo: Deixai, vejamos se virá Elias tirá-lo. E Jesus, dando um grande brado, expirou...” .Ressuscitou da morte e hoje é nosso amado, único e suficiente salvador.

Jesus prometeu e voltará a Jerusalém, (Atos 1:11) “Os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”. O profeta Zacarias predisse até o lugar na cidade (Zacarias 14:4) “E, naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente”... .

 

A Ingratidão de Sião:

Sião foi ingrata ao Messias levando-o ao sacrifício da cruz, foi ingrata com os apóstolos, com Estevão (Atos 7:58) “E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo”. Com Pedro e João, (Atos 4:3) “E lançaram mão deles e os encerraram na prisão até ao dia seguinte, pois era já tarde”. E dos demais apóstolos incluindo Paulo todos sofreram, (Atos 5:18) “... e lançaram mão dos apóstolos, e os puseram na prisão pública”. Examine  (Atos 21:27) “Quando os sete dias estavam quase a terminar, os judeus da Ásia, vendo-o no templo, alvoroçaram todo o povo e lançaram mão dele”.

Todavia existem muitas promessas de Deus para Sião, Deus escolheu Jerusalém para ali estar o Seu Nome (Isaías 28:16) “Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse”.

Jerusalém foi colocada como copo de tremor e uma pedra pesada entre as nações, Zacarias (12:2 e 3) “Eis que porei Jerusalém como um copo de tremor para todos os povos em redor e também para Judá, quando do cerco contra Jerusalém. E acontecerá, naquele dia, que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que carregarem com ela certamente serão despedaçados, e ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra”.

Jerusalém será purificada e não haverá nela o anátema (Zacarias 14:11) “E habitarão nela, e não haverá mais anátema, porque Jerusalém habitará segura”.

Diante disso temos que permanecer fieis, mesmo vivendo em um mundo corrompido, sodomita e arruinado pelo pecado, não podemos nos misturarmos com seus costumes. Teremos que viver afastados das orgias e oferendas deste mundo. Os nossos heróis do passado viveram em santificação, em comunhão permanente com Deus. Sabiam eles e sabemos nós que o Senhor Jesus não aceita mistura com o mundo (Lucas 16:13) “Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque ou há de aborrecer a um e amar ao outro ou se há de chegar a um e desprezar ao outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom”. Hoje existem muitos chamados de herói, mas são só de  palavras ou honrarias concedidas por “amigos” ou seja bajuladores. A Palavra de Deus não muda,os heróis do passado viveram como peregrinos e forasteiros (1 Pedro 2:11) “Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma”.

Para Deus não somos peregrinos, mas cidadãos dos céus (Efésios 2:19) “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da família de Deus”. Mas para o mundo devemos andar como peregrinos e não participantes das misérias e corrupções que hoje domina quase em todas as áreas, inclusive nas igrejas.

Não levantarmos nossos olhos para as grandezas e belezas deste mundo como fez Ló, mas sim, devemos fazer como Abraão levantar os olhos só na direção de Deus (Gênesis 13:14 a 18) “E disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta, agora, os teus olhos e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre. E farei a tua semente como o pó da terra; de maneira que, se alguém puder contar o pó da terra, também a tua semente será contada. Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei. E Abrão armou as suas tendas, e veio, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao SENHOR”.

Hoje os nossos grandes lideres gostam de estarem juntos das grandes autoridades, nacionais, governadores, presidentes e outros. Aos humildes e pequenos nem atenção dão.

O Grande Perigo:

O grande perigo é fazer como Israel fez, deixar a doutrina bíblica de lado e seguir nossos próprios pensamentos de grandezas indo pararem na idolatria, desobediência e rebeldia. È um grande perigo inclinarmos para as obras da carne que são oriundas de Sodoma e Gomorra (Romanos 8:5 e 8) “Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito (...) Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus”.

Um grande perigo é se deixar dirigir-se pelos profetas que aparecem profetizando falsamente, decretando bênçãos sobre bênçãos rodopiando dentro dos templos, dançando , mais parecendo um festival carnal do que um culto de louvor a Deus porque assim fez Israel no Sinai.

Qual a lição que temos disso tudo:

Em todas essas coisas ficou claro que Deus não condena ninguém sem dar oportunidade de se arrepender e se consertar. Sua misericórdia vai de geração a geração, amando o pecador e aborrecendo o pecado.
O pacto entre Deus e Israel feito no Sinai foi logo rompido pelo povo e com a intercessão de Moisés Deus pela sua grande misericórdia perdoou a transgressão, mas os insitadores foram mortos, prova que o Senhor aborrece o pecado.

Sodoma e Gomorra, o que nos ensina?

Em Sodoma e Gomorra o juízo de Deus foi executado com rigor porque a paciência de Deus também tem limites, Ele não tolera para sempre os desobedientes e abomináveis que praticam sodomia, fornicações. A condenação desses atos está escrita em (Lucas 17:28 a 30) “Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam. Mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre, consumindo a todos. Assim será no dia em que o Filho do Homem se há de manifestar”. Também entendemos com isso que Deus pelo amor de um justo e livra outro justo,veja o que diz em (Gênesis 19:29) “E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, Deus se lembrou de Abraão e tirou Ló do meio da destruição, derribando aquelas cidades em que Ló habitara”. Deus jamais condenou e jamais condenará o justo, (2 Pedro 2:7) “E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis”.

As cidades das campinas do Jordão tiveram tempo e oportunidades para se arrependerem essas oportunidades são dadas a todos, basta aproveita-las, (Mateus 3:7 e 8) “E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”. Ainda está escrito em (2 Pedro 3:9) “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se”. Porém, se não se arrependerem perecerão, (Lucas 13:3) “Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis”.

Qual a lição que nos dá o Sinai:

Que Deus amou e ama a raça humana e sempre está pronto para redimí-la e perdoá-la.
Que a raça humana é sempre propensa ao pecado, é frágil demais nas suas atitudes, não reflete sobre as bênçãos de Deus.

No Sinai (deserto) se esqueceram tudo o que o Senhor tinha realizado no Egito nem da travessia do Mar Vermelho se lembraram. É mesmo fácil de se esquecer as maravilhas de Deus quando estamos iludidos com o mundo e suas ofertas.

Não obstante as fraquezas humanas, Deus sempre perdoa aquele que se arrepende.

Aprendemos que, mesmo no meio de uma geração incrédula, irreverente, idólatra, imoral, desobediente, sempre existiu e existirão pessoas fiéis, que mesmo sofrendo afrontas e zombarias permanecem na doutrina da Palavra de Deus, vemos isso hoje em igrejas que já misturaram com o mundo.

De Sião, o que aprendemos?

Como já dissemos o nome Sião tornou-se abrangente incluindo o próprio monte de Sião, o Moriá e a cidade de Jerusalém. Quando falarmos Sião estaremos referindo-nos a qualquer um deles.

Em Sião aprendemos que Deus provou, prova e provará o cumprimento literal de Sua Palavra. Ali é o lugar da benção e também será o lugar onde o anticristo será derrotado. Sião é chamada de cidade de Deus, Monte Santo, Monte Sagrado, etc. (Salmos 2:6) “Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte Sião”. Ainda em (Salmos 48:1) “Grande é o SENHOR e mui digno de louvor na cidade do nosso Deus, no seu monte santo”.

A cidade também é chamada de cidade de Davi e para lá levaram a Arca do Senhor (II Samuel 6:12) (...) “Davi e trouxe a arca de Deus para cima, da casa de Obede-Edom, à Cidade de Davi, com alegria”.

Os cânticos de Sião eram formosos que até os povos estranhos desejavam ouvi-los (Salmos 137:3) “Porquanto aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião”.  Jesus voltará para Sião (Zacarias 14:4) “E, naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém...”. Confira o que está escrito em (Apocalipse 14:1) “E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião...”.

Muitos atos terríveis ali aconteceram, Judas traiu a Jesus, perseguiram e mataram alguns dos seguidores de Cristo. Mas ali a Igreja glorificada presenciará a redenção de Israel, igualmente o acontecido com José e seus irmãos. Os irmãos de Jesus reconhecendo-o como o tão esperado Messias. Aleluia!

Devemos sempre e em qualquer lugar ou circunstancias, alegres, cantando, chorando, felizes, sofrendo, com saúde ou morrendo, sempre obedecendo ao Senhor,sem duvida receberemos a benção e a vida eterna, (Salmos 126:6) “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos”.

 Nossa crença deve ser única e exclusivamente na Palavra de Deus a Bíblia Sagrada e não nos acovardarmos diante de enganadores que surge e surgirão por ai como hoje já vemos, o “evangelho” de Judas o traidor, Código Da Vinci e outros que com certeza aparecerão. Nossa firmeza deve ser em nosso Senhor Jesus Cristo, única e exclusivamente.

Resumo

Em Sodoma seus habitantes pecaram, mas o fiel alcançou a vitória .

No Sinai os homens (povo) pecaram, os fiéis alcançaram vitória.

Em Sião houve também os desobedientes e rebeldes mas os fiéis alcançaram vitória.

Deus sempre usou de misericórdia para com a raça humana.

Os obedientes viverão eternamente com Jesus Cristo, preste atenção nos capítulos e versículos seguintes: (João 12:26) “Se alguém me serve, siga-me; e, onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará”.

(João 14:3) “E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também”.

(João 17:24) “Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da criação do mundo”.

(1 João 2:18) “Filhinhos, é já a última hora ...”

(Apoc. 2:10)”...Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”.

Todos os fiéis ouvirão o seguinte: (Mateus 25:21) “E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor”.

Creia em Cristo e leia a Bíblia.

Pr. Ismar Vieira Malta

<<<VOLTAR